Corretores de seguros e imóveis: saibam quanto que vocês irão economizar

Pessoa Física ou Jurídica?

Uma dúvida recorrente entre os corretores é se vale mais a pena ser autônomo (pessoa física) ou uma empresa (pessoa jurídica).

Existem diversos aspectos que devem ser avaliados, porém, neste post iremos tratar exclusivamente dos aspectos tributários.

As dúvidas dos corretores, entre abrir uma empresa ou atuar como profissional autônomo é com relação aos tributos.

Quanto é que vou pagar?

Os corretores que atuam como autônomos deverão recolher os tributos de todas as transações com a mesma tabela que um empregado, podendo variar de 7,50% a 27,50%.

Tabela IRPF - 2014

Esse mesmo profissional pode abrir uma empresa para receber dos seus clientes e ter ainda uma economia tributária.

Hoje, a atividade de corretagem poderá estar no Lucro Real e no Lucro Presumido, mas a grande novidade é se aberta, ainda em 2014, poderá se enquadrar no Simples Nacional, gerando ganho para toda classe.

Em uma comparação bem direta sobre a carga tributária, temos:

A vantagem de abrir uma empresa é o fato de que o lucro poderá ser distribuído aos sócios isento de impostos.

Anexa uma planilha de comparação simplificada, para que você mesmo possa fazer uma simulação do comparativo sobre a carga existente entre os tipos de enquadramento tributário.

Ficou com alguma dúvida? Acesse o Conube e converse com um de nossos especialistas.

Tem mais dúvidas? Envie uma solicitação

0 Comentários

Por favor, entre para comentar.